domingo, 7 de setembro de 2008

A sapota-do-solimões (Quararibea cordata)




O título de hoje parece sugerir um fruto da saborosa família das sapotáceas, que inclui os dulcíssimos sapoti (Manilkara zapota) e abiu (Pouteria caimito). Engana-se quem se deixa levar pela nomenclatura popular. A sapota-do-solimões é parente das coloridas paineiras (Ceiba spp.), dos ornamentais Hibiscus e do célebre cacau (Theobroma cacao), todos pertencentes à família das malváceas.

A sapota-do-solimões possui formato globoso (ca. 12 cm de diâmetro), casca marrom-esverdeada e com textura de couro (coriácea), que encerra uma polpa amarelo-alaranjada, suculenta e abundante, algo fibrosa (como a da manga). Seu sabor é simplesmente delicioso, doce e delicado. Pode ser comparado a uma mistura de manga com melão-cantaloupe. O número de sementes é pequeno, variando de duas a cinco por fruto.

É muito popular no oeste da Amazônia, a partir da cidade brasileira de Tefé até a região fronteiriça com o Peru e a Bolívia. Nesta área aparece com freqüência nas feiras livres, colhida na mata virgem, ou mesmo em quintais domésticos, onde é cultivada.

Praticamente desconhecida dos fruticultores brasileiros fora da região amazônica, a Quararibea cordata foi introduzida no sul dos EUA (Flórida) em 1964. O autor da proeza foi William Francis Whitman (1914-2007), mais conhecido como Bill Whitman.

Bill foi um americano de grande espírito empreendedor, tendo sido pioneiro em áreas tão diversas como surfe, filmagem subaquática e construção de shoppings centers. Mas sua grande paixão acabou sendo o cultivo de frutas tropicais. Ele conta em seu ótimo livro [Whitman, W. F. 2001. Five Decades with Tropical Fruit, a Personal Journey. Englewood, Quisqualis Books. 476 p.] que “apaixonou-se” em 1947 pela fruta-pão (Artocarpus altilis) durante uma viagem ao Taiti. A partir de então, começou a organizar uma fantástica coleção das mais deliciosas frutas de climas quentes vindas de todos os cantos do planeta.

Paralelamente, fundou em Miami uma associação de pessoas que compartilhavam o mesmo interesse, denominada “Rare Fruit Council International” (Conselho Internacional de Frutas Raras). Já no final da vida, Whitman fez uma vultosa doação ao Fairchild Tropical Garden, para a construção de uma sofisticada estufa para cultivo de clones das frutas de sua coleção (http://www.fairchildgarden.org/index.cfm?section=livingcollections&subsection=tropicalfruitprogram&page=whitmantropicalfruitpavilion).

Mas voltemos ao nosso tema de hoje. Bill importou o “South American sapote” da cidade de Iquitos, na Amazônia peruana. Distribuiu a espécie a vários membros do RFCI, obtendo finalmente sua frutificação em 1973. Inicialmente de produção tímida (apenas oito frutos), a carga aumentou consideravelmente nos anos subseqüentes, chegando a mais de 60 unidades por árvore. A capa de seu livro estampa justamente esta uma dessas colheitas (ver foto).

Em meados da década de 1990, tive o prazer de me corresponder com Whitman. Apesar de não tê-lo conhecido pessoalmente, amigos em comum trouxeram-me duas mudas suas de Q. cordata. Passei a cultivá-las com carinho, ministrando sombra (através do uso de tela sombreadora) e adubação equilibrada (principalmente orgânica).

As árvores desenvolveram-se muito bem no clima da Região Sudeste, apresentando maior crescimento após a remoção da cobertura sombreadora. Anualmente, aplico composto orgânico, enriquecido com fósforo e microelementos. Hoje, uma delas mede cerca de 3 m de altura, enquanto que a segunda ficou com menos de 2 m, por termos propositalmente removido seu ápice (uma técnica muito utilizada por fruticultores para reduzir o porte de algumas fruteiras). São plantas muito ornamentais, pelas imensas (40-50 cm) folhas em forma de coração (cordiformes) e pela copa simétrica, arredondada.

Qual não foi minha surpresa, dias atrás, quando aos sete anos de idade uma das sapoteiras-do-solimões aqui do E-jardim lançou uma bela carga de flores (ver a segunda foto que ilustra este texto). Divido a imagem com vocês, já torcendo para que se transformem em deliciosos frutos.

Forte abraço!

11 comentários:

Antonio disse...

Boa sorte com a safra Eduardo. O Bill ficaria contentíssimo com a notícia.

Eduardo Jardim disse...

Se a safra vingar, será "neta" do Bill. Por falar nele, como anda a antiga residência dele, com a coleção das fruteiras?

Antonio disse...

Ouvi falar que a casa vai ficar para um sobrinho dele que pretende manter a coleção.

Eduardo Jardim disse...

É uma ótima notícia. Uma coleção como a que ele reuniu não deveria se perder.

Sammis Reachers disse...

É sempre bom aprender e conhecer uma nova fruta. Esse 'esporte' parece não ter fim... Graças a Deus, que semeou essas doçuras pela terra.

Uma pergunta: onde ficaria a maior coleção de fruteiras (tropicais e também em geral) do mundo?

Inseri o link de seu excelente blog no meu Azul Caudal (http://azulcaudal.blogspot.com).

Um fraterno abraço do Sammis

Eduardo Jardim disse...

Muito obrigado pelo apoio, Sammis!

Aí está uma boa pergunta: onde ficaria a maior coleção de fruteiras do mundo.

Aqui no Brasil, conheço umas dez pessoas que dizem ter a maior do país, rsrsrs...

Abraços!

Neide Rigo disse...

Oi, Eduardo!
Que ótimo blog. Vou voltar aqui muitas vezes. Também gosto de falar destas frutinhas. Várias delas já estão lá também.
Um abraço, Obrigada,
N

bianca disse...

Oi Eduardo !!!
Conheci o seu site atraves do orkut.E como no ano que vem eu estarei ingressando no curso de paisagista, então estou me informando sobre todos os assuntos possiveis e cuidando de uma hortinha em casa já para sentir o cheirinho da terra...
E o sapoti...adoro !!!!
Pois morei em Salvador e lá tem muito!!!!!
Beijos e Parabens !

Eduardo Jardim disse...

Neide: seu blog também é ótimo, e sou ávido leitor dele!

Bianca: convido-a a conhecer também nosso site, www.e-jardim.com, onde poderá conferir nosso viveiro e muitas das plantas que cultivamos.

Forte abraço!

andre benedito disse...

Eduardo,

parabens pelo seu blog, venho acompanhando suas matérias há algum tempo. Tenho uma foto da Sapota se quiser ilustrar mais o texto. Estes frutos estavam a venda no Mercado Municipal de São Paulo. http://www.flickr.com/photos/andrebenedito/2432835102/in/set-72157603272215698/

Eduardo Jardim disse...

Bela foto, André!
Obrigado pelo gentil oferecimento.